telenovelas

em parceria com a Activa

Perfil

Animais

Truques e dicas para controlar a agressividade do seu cão

O seu cão não sofreu maus tratos e mesmo assim é violento? Talvez seja a forma de ele mostrar que é dominante, não quer dividir o brinquedo ou está com medo...

iStock

Às vezes, estamos a fazer uma visita e o cão dessa casa é tão calminho que demoramos a dar conta da sua presença. Não late nem é hostil. Mais parece um boneco de peluche. Já outros cães são pura agressividade. E aparentemente sem motivo, pois são superprotegidos, de tanto mimo que recebem e... esse pode ser justamente o problema! Cléber Santos, especialista em comportamento animal, explica neste texto as principais causas das atitudes agressivas, como tratá-las e ainda a maneira de evitar que o seu amigo de quatro patas seja assim e deixe as visitas em paz!

SINAIS DE AGRESSIVIDADE:
Orelhas voltadas para trás
Rabo esticado para cima
Pelos das costas eriçados
Rosna quando alguém se aproxima – dele, da comida ou dos objetos que gosta
Muitos latidos ao ouvir barulhos ou ao ver pessoas ou animais estranhos
Não gosta de brincar nem de ser acariciado
Apresenta comportamento antissocial, permanecendo muito isolado

PRINCIPAIS CAUSAS:
Falta de socialização - Muitos donos não levam o cão a passear com medo de que ele se assuste com os sons dos carros, movimentos das pessoas e até com os outros cães. No entanto, essa proteção faz com que o animal sinta medo e insegurança, o que pode gerar stresse. Por isso, leve o seu cãozinho a passear. Ele tem de conhecer o mundo e sentir que os outros cães não são ameaça!
Dominância - Tal como membros de qualquer matilha, o cão precisa de seguir um líder. Quando não consegue identificar uma presença que se torne referência, ele assume a liderança, podendo ficar mais agressivo. Por isso, mostre ao seu animal de estimação que é você quem manda e não ele.
Má comunicação - Quando stressado ou a sentir-se encurralado, o cão pode reagir com violência. Normalmente, isso acontece quando ele é educado de forma inadequada. “Repreender o cão com agressão ou gritos faz com que ele tenha medo e estimula a agressividade”, explica Cléber Santos.
Marcação de território - Pode acontecer quando uma pessoa ou outro animal se aproxima de um objeto de que o bicho gosta ou até mesmo do próprio dono. Aqui, o sentimento é de possessividade. Ele tem a necessidade de mostrar que você é dele, mesmo que isso custe uns latidos ou rosnadelas... “O ideal é demonstrar ao cão que ele não precisa de ficar na defensiva. Para isso, recompense-o com petiscos sempre que ele se mantiver calmo quando alguém se aproximar do seu território”, ensina o profissional. Um afago também corre bem, já se sabe!

COMO EVITAR O MAU COMPORTAMENTO:
Costuma ser resultado da má comunicação com o dono. Então...
Não seja agressiva nem violenta.
Não ache graça quando ele morder alguém ou algum objeto, mesmo que esteja só a brincar. Diga “não”.
Desde cedo, passeie com ele na rua e leve-o a brincar e socializar com outros cães, mas sem instigar a violência.
Não humanize o animal. Ele não é uma pessoa.

DEIXE O CÃO TRANQUILO:
independentemente do tamanho do cão, o especialista alerta que um comportamento hostil envolve riscos e pode causar transtornos aos donos e à sociedade em geral. Por isso, antes de tentar controlar a agressividade do animal, o proprietário deve contar com o auxílio de um profissional veterinário.
“O especialista ficará atento aos sinais, à forma com que o cão reage e interage com pessoas e com outros animais. A partir daí, com o dono, ele tratará desse comportamento, com carinho e técnicas corretas”, afirma Santos.