telenovelas

em parceria com a Activa

Perfil

Novelas

Inês Herédia encantada com estreia em novelas: 'Estou a adorar'

A irmã cantora da Luísa de 'Paixão', da SIC, é sensata e conciliadora. A atriz que a interpreta diz que ainda tem muito para mostrar.

TeleNovelas

Pedro Jorge Melo

Tem 27 anos e ficámos a conhecê-la no programa de talentos “Ídolos”, em 2012, no qual foi uma das finalistas. Hoje, brilha na novela da noite da SIC, “Paixão”, sendo a mais equilibrada e zen da complicada família Marreiros. A atriz mostra o talento nas músicas que interpreta e considera que o desafio não podia estar a correr melhor.

Bom ambiente de trabalho
“É a primeira vez que estou a trabalhar em televisão, mas nunca imaginei que houvesse um ambiente tão familiar. Nós rimos, choramos, comemos, fazemos tudo juntos.”

Nova experiência
“No princípio, foi um bocadinho assustador. Só tinha feito teatro e cinema e a televisão tem um ritmo alucinante. Mas gosto muito de trabalhar sobre pressão e fora de pé. É isso que me faz criar. É porque tenho de me atirar de cabeça sem paraquedas que me encontro nesta profissão.
Por isso, estou a adorar. É difícil, mas bom.”

Como vai ser o percurso da Júlia?
“A Júlia continuará num registo conciliador, mas vai ganhar mais personalidade. Vai haver ali um momento em que se perceberá melhor o caráter dela.”

Público quer mais
“Tem sido muito positivo o contacto com o público. Dizem muito que querem ver mais dela, o que é bom sinal. Vão ter de esperar, no entanto, ela vai aparecer.”

Músicas próprias
“É engraçado, porque até agora quase todas as personagens que fiz envolvem canto. É bom a Júlia estar a cantar as minhas músicas. É muito giro e gratificante.”

O que lhe dizem na rua?
“Avisam-me que o Zé é mau, para ter cuidado... e recebo mensagens a perguntar a cor da tinta que uso no cabelo.”

Cor do cabelo que dá que falar!
“O ruivo não é a minha cor natural, embora agora a minha mãe já acredite que sou ruiva! Tenho este tom para aí há seis ou sete anos. Adorava viver uma personagem de cabelo preto, mas até agora foram sempre ruivas…”

SIC Divulgação