telenovelas

em parceria com a Activa

Perfil

Novelas

Em breve em 'Paixão': Luísa é raptada

Quando percebe que Luísa ouviu Catarina no quarto secreto, César agride-a e aperta-lhe o pescoço até ela perder os sentidos.

Em pânico, ele tenta disfarçar, dizendo que se trata de um desenho do sobrinho e, para a tirar dali, ameaça chamar a polícia. A amada de Miguel não o ouve e entra pela casa adentro: “Não te preocupes, a polícia já vem a caminho. Catarina, onde estás?” Nervoso, ele olha na direção do armário que tapa a entrada para a divisão secreta onde tem mantido a menina presa. Lá dentro, Catarina está deitada no colchão, de olhos fechados, quando ouve os gritos da mãe ao longe. Levanta-se de um salto sem ter a certeza do que se está a passar. Descontrolada, Luísa vasculha a casa toda, sob o olhar agitado do bandido. “Ou sai a bem ou sai a mal”, ameaça ele. “Já lhe disse que não tenho a sua filha porra nenhuma!” Convencida de que está a mentir, ela exige que lhe diga onde está a menina. “Isto é o quê? Uma maneira de te vingares do Miguel? A Catarina é só uma criança! Diz-me onde é que ela está, a polícia está a chegar!” Nisto, ouvem-se umas pancadas abafadas na parede que dá para o quarto secreto. Ela pára, com o coração a bater apressado, e encosta o ouvido à parede...
A ajuda de Helena
É nesse momento que o sul-africano percebe que foi descoberto. “A mãe está aqui! Eu vou salvar-te filha!”, grita Luísa. De repente, esta cala-se, pois é agarrada por César, que lhe aperta o pescoço até ela perder os sentidos. Catarina encosta novamente o ouvido à parede, só que não ouve mais nada. Nervoso, o bandido, pousa a empresária no chão. Helena aparece e depara-se com a rival inanimada. Com os olhos carregados de ódio, ele acusa-a: “Tu... Foste tu, cabra... Eu avisei-te para ficares longe”. Tentando soltar-se, ela defende-se. “És burro? Pega na Luísa e na miúda e vai-te embora! O tempo está a contar, ela chamou a polícia.” Aflito, ele aceita as chaves da carrinha que ela lhe passa e vai buscar Catarina ao quarto, levando-a dali. Encandeada pela luz do sol que já não vê há vários dias, a menina olha em redor e vê Helena ao longe. Agarrando-a pela mão, César mete-a na carrinha, onde já está Luísa, inanimada e amordaçada, raptando as duas. “Mãe! Mãe!”, grita, assustada, a criança. O bandido benze-se, beija o terço que tira do bolso e arranca, sob o olhar vitorioso de Helena.