telenovelas

em parceria com a Activa

Perfil

Novelas

Sofia Ribeiro conta tudo em livro: amor, revolta e doença

A atriz apaixonou-se pelo médico que a operou, ataca um “ex” e diz que fez as pazes com o pai. Para ler em “Confia”.

1 / 5

Ana Cristina Freitas

2 / 5

Carlos Maciel

3 / 5

DR

4 / 5

Photographer:Mario Bau

5 / 5

José Oliveira

“Ex” criticado
No livro “Confia”, Sofia fala dos namoros que teve com Nuno Janeiro – “uma paixão fulminante” – e Ruben Rua, com quem se casou – “um amor enorme”. Quanto à relação com Rúben da Cruz, tece algumas críticas, embora não fale do nome do DJ. “Houve meses extremamente conturbados, difíceis, que mexeram comigo. Houve uma relação amorosa muito tóxica e oportunista, que surgiu após o meu divórcio”, escreve.

Mais próxima do pai
Sofia teve uma relação de amor/ódio com o pai, mas o cancro do pulmão de Jorge acabou por reaproximá-los. A atriz e o progenitor fizeram as pazes na dor. “Dormia no seu colo, ele no meu, ríamos, chorávamos, ficávamos horas à conversa no jardim do hospital e víamos os jogos do seu Sporting, que ele tanto adorava. Acredito que, para ele, estes também tenham sido os melhores meses de vida, em que se permitiu amar e ser amado.” A atriz não conseguiu despedir-se do pai, que entretanto morreu.

Paixão pelo médico
Começou por ser uma relação entre médico e paciente, mas as coisas extravasaram para o campo amoroso. A atriz apaixonou-se pelo médico que descobriu e a operou ao cancro da mama, numa relação que foi crescendo mas que, entretanto, terminou. “Ele trouxe-me o amor, fundamental no final feliz desta história”, explica. Tudo começou com “friozinhos na barriga” e viagens “até ao Alentejo”, passou pelo “primeiro beijo na Comporta”, mas acabou. “O beijo aconteceu, o mais bonito de todos, mas foi também aquele que marcou o nosso afastamento.”

Mal-estar na novela
Foi muito apoiada pelos colegas na sua luta contra o cancro, mas houve uma exceção, nas gravações da novela “Santa Bárbara”, da TVI. “Nem todos os meus colegas tiveram essa dignidade e amizade por mim”, começa por contar, para ir mais longe e relatar o último dia de gravações: “Ouvi uma dita colega aos berros, a dizer que era inadmissível terem feito aquelas alterações no guião e que isso prejudicava a sua personagem. Isto enquanto fumava dentro do estúdio, num espaço fechado e onde é proibido fumar”. Sofia Ribeiro tirou uma conclusão: “A vida encarrega-se de colocar as coisas no lugar certo”.