telenovelas

em parceria com a Activa

Perfil

Novelas

Não perca em 'Valor da Vida': Artur pede para morrer

Quando chega ao estabelecimento prisional, Artur entra em desespero e pede a um dos companheiros de cela que acabe com a sua vida.

Uma carta do Ministério da Justiça brasileiro endereçada a Artur vai mudar-lhe a vida. O pai de Marta é chamado a tribunal para o julgamento do assassinato de Joilson, o homem que violou Camilla. Emocionado, o ex-congelado despede-se da brasileira, deixando-lhe Camilinha, a suposta filha de ambos. Ela dá-lhe força mas Artur teme o pior e, na verdade, já no Brasil, no dia em que o juiz lê a sentença, ele é condenado a 10 anos de prisão efetiva. O magistrado alega que Artur planeou a morte de Joilton e fez justiça pelas próprias mãos ao invés de entregar esse papel às autoridades. Todos ficam indignados enquanto Horácio, escondido, sorri, satisfeito com o resultado.
Sentença encomendada
Camilla não tem dúvidas de que juiz foi comprado e o advogado diz que vai apresentar recurso. Marta chora, agarrada ao pai, e Artur afirma que vai morrer sem os comprimidos. Jesus tranquiliza-o e garante-lhe que, se tiver uma prescrição médica, pode tomá-los na cadeia. Mas é no estabelecimento prisional que começam os verdadeiros problemas. O polícia federal alerta Artur para a prisão onde vai ser enviado e explica-lhe que não vai sobreviver, deixando-o assustado. Autoritário, o guarda manda o empresário deixar as suas coisas e ficar nu, pois tem de ser sujeito a uma inspeção antes de entrar na cela. Quando isso está prestes a acontecer, um dos reclusos, o “Papa”, diz que não quer ali ninguém e ameaça matá-lo. O guarda faz ouvidos moucos e aconselha Artur a fazer amizade com o “Papa”. O português, devastado, começa a chorar. O bandido que parece ser o líder manda-o calar-se. Artur tenta conter-se mas, em desespero, pede ao criminoso: “Mata-me! É a melhor solução”. O “Papa” fica confuso e o ambiente na prisão começa a ficar agitado. Os presos querem sangue e pedem ao “Papa” para eliminar o ex-congelado. O bandido fica confuso com tão estranho pedido.