telenovelas

em parceria com a Activa

Perfil

Saúde

Devo apanhar sol sem protetor durante 15 minutos, por falta de vitamina D?

O dr. Pedro Vasconcelos responde!

iStock

Tenho 55 anos, sempre usei protetor solar fator 50, mas agora o médico de família disse-me para fazer caminhadas em que tivesse os braços e um pouco das pernas destapadas. E não devo usar protetor por 15 a 20 minutos. Diz que tenho falta de vitamina D. Devo mesmo fazê-lo assim? Margarida, por e-mail

Muito se tem falado nos últimos tempos sobre vitamina D. Esta é essencial para uma boa mineralização cálcica dos ossos. Mais recentemente, têm sido sugeridas outras funções, que vão muito para além do metabolismo ósseo.
Nas mulheres pós-menopáusicas, a possibilidade de ocorrência de osteopénia e osteoporose é uma realidade incontornável que importa prevenir, identificar e corrigir, pelo que será vantajoso garantir que as concentrações de vitamina D no sangue se encontrem dentro dos valores da normalidade naquela população. Ora a atividade natural da vitamina D passa pela ativação de precursores desta vitamina a nível da pele por parte dos raios ultravioleta da luz solar. Nesse sentido, é necessário que uma pequena área da pele esteja exposta ao sol durante um curto período de tempo por dia, durante todo o ano. As recomendações do seu médico estão globalmente corretas, mas a área exposta pode ser ainda mais pequena (por exemplo, apenas os antebraços) durante apenas 10 ou 15 minutos por dia, para que seja produzida a quantidade suficiente de vitamina D ativa para as necessidades do organismo. Após esse período de exposição deverá aplicar protetor solar, cujo factor de proteção depende do seu fototipo (este está relacionado com a intensidade de pigmentação cutânea, sendo baixo nas peles claras e alto nas peles mais escuras).
A proteção solar é muito importante porque os raios ultravioleta contidos na luz solar são os principais indutores de cancro da pele e dos principais estigmas de envelhecimento cutâneo (rugas e manchas). Apesar de ser recomendada a exposição solar ligeira para que ocorra a ativação da vitamina D e esta venha a exercer as suas ações benéficas no organismo, a proteção solar nunca deve ser descurada, devendo sempre prevenir que surja vermelhidão cutânea consequente à ação da luz solar e queimadura solar.
Não se esqueça: para garantir níveis adequados de vitamina D, permita a exposição solar todos os dias, por curto período de tempo, de uma pequena área de pele “menos nobre” (evite expor a face, decote e mãos), devendo de seguida aplicar protetor solar adequado.