telenovelas

em parceria com a Activa

Perfil

Saúde

Saiba como melhorar uma relação amargurada entre pais e filhos

A dra. Raquel Martins Ferreira explica!

Brzozowska

Tenho 70 anos, vivi uma vida em que me dediquei aos meus filhos da melhor maneira que pude, mas agora a minha mais nova parece revoltada contra mim. Acusa-me de não ter estado atenta quando ela precisava, de não a ter ouvido, de nada do que ela fazia chegava e que eu era muito exigente... as nossas conversas acabam em zangas. Não posso voltar atrás e desfazer o que fiz. Sinto-me só e deprimida. O que lhe posso dizer? Fernanda, por e-mail
Querida Fernanda, acima de tudo, saiba que errar é humano. Não se culpe pelo que fez ou faltou fazer. O papel de mãe é difícil e exigente e, tenho a certeza de que fez o melhor que sabia na altura, o que achou ser o mais correto. Em primeiro lugar, tenham uma conversa construtiva, sem acusações. Ouçam-se uma à outra e perdoem os erros do passado, recomeçando. Não adianta de nada atribuir culpas, entrar numa conversa cheia de acusações em que o fim será a discussão pouco ou nada construtiva. Explique-lhe que talvez tenha sido demasiado exigente por achar que estava a fazer o melhor e que, agora, percebe que talvez houvesse outra forma de fazer as coisas. Explique-lhe que nada está perdido, que é com os erros que se aprende e que podem agora reescrever uma história diferente. Diga-lhe que gosta dela, que a ama. Quando ao facto de se sentir deprimida, procure um especialista que a ajude a superar essa fase. Não precisa de passar por isso sozinha. Cuide de si. Alguma coisa, disponha.