telenovelas

em parceria com a Activa

Perfil

Saúde

Alimente-se bem e afaste os espirros e a febre!

Saiba como reduzir o risco de gripe com uma alimentação saudável que aumenta as defesas do nosso organismo.

seb_ra

Se tornar mais forte o seu sistema imunitário, previne o aparecimento da gripe e dos seus efeitos associados, como espirros, nariz entupido, febre, sensibilidade ao frio, etc.
Segundo vários profissionais de saúde, principalmente nutricionistas, uma alimentação saudável aumenta e reforça o nosso sistema imunitário e pode inclusivamente impedir que fiquemos de “cama” com gripe. A prevenção é a chave do sucesso. Por isso, não espere até ficar doente para fazer estas mudanças. Se precisa de rever a sua dieta alimentar e o seu estilo de vida antes que o vírus da gripe ataque, leia este artigo e siga os conselhos.
Alimentos vs suplementos
Os alimentos são muito mais saudáveis e melhores do que a toma de determinados suplementos para a prevenção da gripe, porque é através dos primeiros que conseguimos um bom aporte nutricional, ou seja, de todos os nutrientes. Assim, por exemplo, comer uma laranja é bem melhor do que ingerir um suplemento de vitamina C porque a fruta oferece-
-nos um conjunto de nutrientes – magnésio, potássio, ácido fólico, vitamina B6, flavonoides e outras substâncias antioxidantes. Para além de haver aquela sensação maravilhosa de estarmos a saborear a fruta enquanto a comemos! Com um suplemento de vitamina C não teríamos estas mesmas sensações e nutrientes. Embora a vitamina C seja importante para um sistema imunitário saudável, existem estudos científicos que não concluem que tomar doses excessivas dela conseguem impedir que o vírus da gripe possa atuar.
Porém, é sabido também que comer frutas, vegetais e legumes ricos em vitamina C ajuda a fortalecer o sistema imunitário. O sistema imunitário é o que nos protege das infeções virais e os alimentos que comemos têm um impacto muito significativo na capacidade que o nosso organismo tem de combater os vírus, como o da gripe, por exemplo. As frutas, vegetais e legumes também contêm vitaminas A e E, tal como outras substâncias, como os flavonoides, que melhoram o sistema imunitário.
Mantenha a sua alimentação saudável
Enquanto está focada e preocupada em aumentar e/ou manter a quantidade de frutas, vegetais e legumes que ingere todos os dias nas doses corretas, também não se esqueça de complementar com outros alimentos saudáveis que o sistema imunitário necessita. Uma alimentação equilibrada passa também por comer carnes magras, peixe, leguminosas, laticínios magros, cereais, batatas, frutas oleaginosas (nozes, amêndoas, pinhões, etc.), entre outros. Um corpo bem nutrido é um corpo saudável com um sistema imunitário forte. Assim, as proteínas provêm das carnes magras, peixes, laticínios, ovos, soja e derivados e são especialmente importantes porque fornecem os aminoácidos que o organismo precisa para construir e fortalecer os vários constituintes do sistema imunitário. Para além disso, as carnes magras também contêm ferro e zinco; a deficiência nestes minerais pode causar um enfraquecimento do sistema imunitário. E é fundamental ter noção que evitar comida pouco saudável é muito importante. Por isso reduza a ingestão de açúcares e de gorduras, principalmente as saturadas.
E se ficar doente?
Uma alimentação saudável promove uma nutrição eficaz que é essencial para a prevenção de muitas patologias. Mas e se apanhar gripe? Mesmo doente e com a perda de apetite
que daí advém, precisa de alimentar-se
o melhor possível. Tente comer três grandes refeições por dia e outras três intermédias. É essencial que tenha energia para uma rápida recuperação, já que o organismo está a esforçar-se ao máximo para melhorar. Alerto também para a necessidade de beber 2 l de líquidos (água, tisanas, caldos e sumos de frutas naturais) por dia, para prevenir uma desidratação.
Coma mais frutas e vegetais
Sabemos agora a importância de comermos bastantes frutas, vegetais e legumes para tornar o nosso sistema imunitário mais forte. Mas ter consciência disso e não o aplicar no dia a dia não nos vai valer de nada. Por isso, o próximo passo é introduzir estes alimentos na nossa dieta. Embora a tendência no inverno seja comer menos frutas e outros produtos hortícolas devido às temperaturas baixas, o ideal é contrariar essa tendência. Regra geral, todas as pessoas devem ingerir pelo menos 5 doses de frutas e produtos hortícolas por dia para obter as quantidades necessárias de vitaminas, sais minerais, fibras e antioxidantes – em prol de um sistema imunitário mais forte e saudável. Uma das formas mais simples de aumentar o consumo de frutas, vegetais e legumes é beber sumos naturais com estes alimentos – por exemplo, sumo de laranja com cenoura, sumo de tangerina com hortelã, sumo de abacaxi com couve, etc. E é no inverno que algumas frutas são mais baratas, como é o caso dos citrinos, porque estamos na época deles e um consumo diário contribui para a prevenção das gripes. Quem não tem essa possibilidade pelas mais diversas razões, pode beber outro tipo de sumos, mas nem todos são adequados. Por isso, certifique-se que escolhe/compra os que têm na sua composição 100% fruta e sem açúcares adicionados.
Também é seguro comer frutas, vegetais e legumes congelados, para além de ser outra forma económica e conveniente de melhorar os hábitos alimentares. A oferta existente nas superfícies comerciais é muito grande – desde embalagens com um único tipo alimento, como brócolos, alho-francês, espinafres, a misturas de vários vegetais e legumes, como as macedónias, as jardineiras e até exóticas combinações de pratos vegetarianos.